Meu Imóvel

Aumenta número de imóveis leiloados por falta de pagamento

gráfico-subindo-2-630x417

Já enfatizamos inúmeras vezes aqui no Apê ou Casa que a compra de um imóvel requer planejamento. Quando a operação é feita mediante financiamento bancário, os cuidados devem ser ainda maiores.

Números da Caixa Econômica Federal não deixam dúvidas em relação a isso. Instituição financeira responsável por mais de 60% dos financiamentos imobiliários no país, o banco vem notando um crescente aumento no número de pessoas que, impossibilitadas de honrar com as parcelas da casa própria, acabam perdendo o bem.

Segundo o banco, houve um aumento de 53% na quantidade de residências leiloadas em 2015 em relação a 2014. No ano passado, 13.137 casas ou apartamentos foram a leilão, enquanto em 2014 foram 8.541. Mais: nos últimos cinco anos, o crescimento de leilões por falta de pagamento foi da ordem de 93%.

Algo a que é preciso se atentar é o instrumento da alienação fiduciária, pelo qual é feita a imensa maioria dos financiamentos. É simples de entender: quando se financia um bem por esse meio, o próprio bem financiado é a garantia da operação.

Ou seja, em um financiamento imobiliário, o adquirente deixa a sua própria casa “à disposição” do banco para que, caso as parcelas não sejam pagas, a instituição leiloe o imóvel. Com o dinheiro arrecadado, o banco pega a parte dele. Caso  a quantia angariada no leilão exceda o valor da dívida, o saldo restante é devolvido ao devedor. Caso não, a pessoa acaba sem a casa e sem dinheiro nenhum – e isso inclui tudo o que já foi pago, vale ressaltar.

Cabe lembrar que nos financiamentos bancários não é possível cancelar o contrato caso o mutuário não tenha capacidade de pagamento. O que pode ser feito é transferir o crédito para outro consumidor.

Mais atenção ainda: o prazo para que o banco tome o imóvel é relativamente curto. Depois de três meses em atraso, geralmente, já é enviada uma notificação ao cartório. Se o financiamento foi feito pelo SFH (Sistema Financeiro de Habitação), tudo se resolve em até 3 meses. Se feito pelo SFI (Sistema Financeiro Imobiliário), 15 dias.

Post Anterior Próximo Post

Você pode gostar também