Meu Bairro, Meu Imóvel, Mobilidade

Bairros caminháveis

O crescimento das cidades tem feito os planejadores urbanos a focarem cada vez mais em mobilidade. E, quando se fala nisso, não se discute apenas o tráfego de carros ou transporte público. O pedestre também deve fazer parte da equação – e, nunca é demais lembrar: todos somos pedestres.

Em São Paulo, faixas de pedestres cruzadas (em azul) ajudam na travessia com mais rapidez.

Em São Paulo, faixas de pedestres cruzadas (em azul) ajudam na travessia com mais rapidez.

A viagem urbana mais barata que uma cidade pode oferecer é uma caminhada – é acessível, equitativa e democrática. Bairros amigáveis a quem anda a pé têm mais vida, mais interação social e, consequentemente, é mais humano e saudável ao convívio. Pesquisas feitas nos Estados Unidos apontam que em bairros com essas características os moradores pesam de três a cinco quilos a menos do que quem vive em locais que privilegiam o transporte por automóvel.

A Bicycle Federation of America Campaign to Make America Walkeble listou alguns pontos que fazem das comunidades amigáveis aos pedestres, das quais se destacam a acessibilidade a pessoas de todas as idades e capacidades físicas, com acesso às suas áreas mais importantes sem a necessidade de usar o carro; e as calçadas limpas e caminháveis.

Outro aspecto favorecido é o da valorização imobiliária. Nos Estados Unidos, segundo a CEO for Cities, bairros caminháveis têm preços que variam de US$ 4 mil a US$ 34 mil superiores em relação àqueles que não são amistosos aos pedestres.

Fica a dica para os próximos prefeitos.

Post Anterior Próximo Post

Você pode gostar também